Arquivo da tag: PRETO VELHO

pretovelho

QUERIDOS PRETOS VELHOS DE ARUANDA!!!


Compre nosso Livros: https://goo.gl/vsG4dK
Curta a Página no Facebook:  Povo de Aruanda
Com seu jeito suave e manso, com seus gestos lentos, vão à distâncias ignotas levar estrelas onde o céu está carente de Luz e onde o chão se transformou em charco, dos pensamentos distorcidos e sentimentos ignóbeis de almas perdidas.
Continue Lendo

 

POVO DE CAMBINDA


A Linha Africana na Umbanda é dividida nas falanges do Povo da Costa, Pai Francisco, Povo do Congo, Povo de Angola, Povo de Luanda, Povo de Cambinda e Povo de Guiné. Todos eles prestam caridade, transmite muita paz, serenidade e amor aos seus filhos e orientam os fiéis para a prática do bem. Continue Lendo

BENDITA UMBANDA!


Umbanda amada, caminho de Luz, reverberando por toda parte suas emanações de Amor, Luz e Caridade.
Umbanda que nos afasta de qualquer preconceito, que descortina as amarras e desfaz as máscaras. Que nos desnuda perante nossa própria imperfeição, mostrando o quanto temos de trilhar pelos caminhos da redenção, mas em momento nenhum nos julga, considerando que cada um tem seu caminho, suas lições e seu aprendizado no tempo certo. Continue Lendo

VOVOZINHOS E VOVOZINHAS


 

pv

Em sua missão de nos confortar, ensinar, proteger, que Sua Luz brilhe cada vez mais, que Sua elevação os conduza às mais altas Esferas Estelares.

Somos tão gratos por seu carinho, seu abraço apertado, sua risada sincera…Pelos puxões de orelha, pelas orientações certeiras, por este amor desvelado…

Meu bom Preto-velho, minha boa Preta Velha, quanta generosidade a nos ensinar, vindo aqui nesta ambiência pesada, quando já adquiriram a leveza do desprendimento, já pagaram cada centil moral de dívidas cármicas, já ultrapassaram as fronteiras reencarnatórias, e aqui chegam porque ainda não conseguimos andar sozinhos, e bondosamente acorrem em nosso auxílio.pva

O sofrimento atroz da escravidão não lhes tirou a brandura, a fé, a compaixão. Pelo contrário, burilou mais e mais seu poder de superação, mas também fortaleceu seus princípios de retidão e respeito ao próximo, os princípios de certo e errado, as atitudes de lisura em todos os momentos.

Suas palavras meigas trazem muitas vezes a direção para nossos pensamentos turvos, nunca nos impondo nada, mas apenas sugerindo os melhores caminhos.

Da mesma forma singela, desfazem as demandas, descarregam as imantações deletérias, neutraliza a perfídia e maus pensamentos, e só com um toque nos traz a sensação de quietude, de serenidade, de Paz.
Nossos problemas devem ser resolvidos por nós mesmos, mas com um olhar seu, Vovô e Vovó queridos, tudo parece mais fácil, conseguimos ter mais alento para prosseguir.

Que sejamos dignos de perceber sua branda presença, e escutar seus sábios conselhos em nosso dia a dia, aprendendo esta arte de buscar a prata da pureza, as pedras preciosas da solidariedade e o ouro do Amor sem fronteiras.

Obrigada Vovôzinho e Vovózinha da Umbanda, obrigada por trazer sua Luz e sua Sabedoria até nós. Que o Pai Oxalá esteja convosco em todo e qualquer lugar, e que Zambi os mantenha sob Sua Proteção por todos os caminhos!
Saravá Pretos Velhos da Umbanda, Saravá Yorimá Abençoado!
Adorei as Almas!!!

Alex de Oxóssi
Rio Bonito – RJ

CURTA minha Página pessoal (clique)

OS DEZ MILHÕES DE ACESSOS


Aquele pequeno contador ao lado direito da primeira página deste blog, poderia estar registrando apenas números, mas sempre soube que ali estavam pessoas. Quando atingiu a marca de dez milhões de acessos, resolvi expressar o que sinto, que é muito mais do que júbilo pelo sucesso numérico.

Cada número representa alguém do outro lado do monitor, e é com um puro sentimento de fraternidade que imagino as pessoas em seus lares, em seus trabalhos, nas horas de lazer, de solidão, de estudo, ou mesmo desespero. Alguns acessando de vez em quando, outros, frequentemente, achando quem sabe, algum alento nas palavras.

Mas é com humildade que sinto a presença de cada irmão e irmã, pois sei muito bem que sou e serei apenas um instrumento para divulgação a serviço dos orixás, assim como há outros inúmeros divulgadores, que espero cada vez mais que se multipliquem.

Nossa tarefa nada mais é que colocar pequenos tijolos, na esperança de ajudar a pavimentar esta estrada bendita, para que outros tenham uma travessia mais suave, através do conhecimento e reflexão sobre as coisas espirituais.

O estudo deve ser suave, constante, e nossas mentes devem sempre estar alertas, livres de preconceitos, prontas para absorver mais dos ensinamentos sagrados, que nos mostrarão desde a resolução dos assuntos cotidianos até a cautela necessária para superar as provas e expiações.

Dez milhões de acessos nos deixa jubilosos, mas não penso em mim, e sim nos queridos caboclos , nos amorosos pretos velhos, nas amadas crianças da coroa de cada um, que por afinidade no momento de cada leitura, terão oportunidade de estreitar os laços com o médium leitor, criando talvez situações favoráveis, para que naquele momento, possam intuir conselhos, amortecer mágoas, dar coragem para recomeços e mesmo favorece escolhas.

Talvez seja necessário esclarecer que não sou fanático, mas acredito profunda e firmemente nos fundamentos que regem a Umbanda, e me empenho e me empenharei para divulgá-la. Respeito qualquer crença, acredito que cada um tem seu caminho.

Acredito também que não há mal algum em ser simpatizante de várias crenças, enquanto se procura seu caminho, mas uma vez se assumindo a condição de umbandista, que cada um exerça sua mediunidade a favor do bem da Humanidade, permita que seus guias se manifestem e trabalhem da forma diligente que os caracteriza.

O que eu sonho, irmãos e irmãs, é que cada um melhore suas existências, consiga encontrar seu caminho, qualquer que seja, aprenda a refletir e viver seu dia a dia com total consciência, seus atos dirigidos por sua própria vontade, e caminhem em direção à Luz, não importando as intempéries, resistindo, sobrevivendo, ultrapassando as agruras e sofrimentos, e prosseguindo sempre, sentindo o prazer dos raios de Sol ao amanhecer , e à Paz e silêncio do espetáculo maravilhoso de cada alvorecer, sentindo-se vivo, filho de Zambi, e ciente de ser um caminhante nesta estrada cósmica.

Que as luzes de Aruanda iluminem os seus passos. Não me ufano de pertencer à Aruanda, mas sim, acredito que os espíritos benditos que me guiam me acenam os caminhos, me amparam nas quedas, e me permitem prosseguir sempre.

Obrigada, irmãos e irmãs, que todos sejam abençoados pelas Forças Maiores, e vamos seguir adiante, com a Umbanda ecoando em nossas almas.

Saravá!

Alex de Oxóssi
Rio Bonito – RJ

MAGOS NEGROS


Ninguem se iluda. Todos somos Luz e Sombra. Qualquer um pode, de acordo com circunstâncias propícias, viver toda uma vida de bondade, generosidade, desde que não seja desafiado em seus pontos fracos.

Por outro lado, alguém com alto senso de Justiça e pensamentos humanísticos, pode passar provas das quais suas atitudes o mergulharão em um mundo de subversão e violência.

Há aqueles que nada querem, nada pensam, passam pela vida como se estivessem dormindo, sem ousar nenhuma atitude em referência ao Bem ou o Mal. Estes, geralmente são deixados quietos, tanto por um lado quanto por outro. Ficam como em estado de latência, e um dia, mais cedo ou mais tarde, serão obrigados a sair da letargia.

A filosofia milenar taoísta preconiza que o equilíbrio está no Yin e Yang, Sombra e Luz, e onde um termina começa o outro. Não é questão de evolução, e sim de ver com outras lentes. Está muito cristalizado dentro de todos, que fazendo coisas boas, se torna bonzinho, ninguém quer saber de ter sido mago negro. Todos acham que são reencarnação de reis, rainhas, santos, mártires e heróis. Haja herói para tanto espírito reencarnante…

Em “A Gênese” , escrito por Allan Kardec, encontramos que “Tal qual ocorreu com a estrutura física da Terra, a evolução moral tem caminhado gradualmente, sem processos descontínuos”

Já Emmanuel, no livro “O Consolador”, comunicou psicograficamente a Chico Xavier, que “dentre os mundos inferiores, a Terra pertence à categoria dos de expiações e provas, porque existe a predominância do mal sobre o bem. Aqui, o homem leva uma vida cheia de vicissitudes por ser ainda imperfeito, havendo para seus habitantes, mais momentos de infelicidades do que de alegrias”.

Alguns dizem que os Magos Negros, são seres proscritos do Sistema Capela, onde seus habitantes altamente evoluídos, conduziram o planeta a um nível mais elevado, de regeneração e benesses. Isto foi há centenas de milhares de anos. Nosso planeta está chegando num momento assim atualmente. Os espíritos que eram recalcitrantes e não aceitaram a evolução, foram impedidos e reencarnar ali, sendo projetados para planetas menos evoluídos, alguns vieram parar no nosso planeta. Dotados de grande poder intelectual e mental, recusaram-se a tomar o corpo físico rudimentar dos habitantes da Terra daquelas longínquas eras, e se mantiveram na espiritualidade. Como fugir às Leis naturais têm um preço, “venderam” sua alma, preferindo, ao invés do caminho de evolução através das provas e reencarnações, o acumular poder à custa de outros, e em vez de subirem aos cumes da Luz, desceram aos abismos das trevas.

Na realidade, qualquer que seja sua origem, os Magos Negros são como os vampiros das história de terror, que ficam na escuridão, sobrevivendo artificialmente a partir da captação de energia de outros, que lhe caem nas armadilhas. Neste momento, sua sociedade do mal está em estado caótico, pois para tudo tem um limite, e o planeta está na iminência de trocar seu “status” vibratório, e não irá mais comportar seres como estes. Da mesma forma, estão extenuados e suas energias estão em pane pela longevidade, não conseguem mais se manter ilusoriamente jovens , formosos e carismáticos. Se formos observar a Terra, há caldeirões de atrocidades o lado de atuações cada vez mais altruístas de seus habitantes. Inequivocamente estamos evoluindo, por mais que eles queiram nos manter na ilusão da Escuridão.

Magos contra Magos. Muitos estão se reencontrando e passaram por tormentos sem fim para finalmente se elevarem como espíritos luminosos. Temos exemplos muito perto de nós, umbandista. Vamos conhecer as histórias dos pretos e pretas velhas, dos caboclos, do povo do Oriente e exus. Todos são exímios desmanchadores de magia negra, porque sabem do que se trata, conheceram e se redimiram com louvor. E é nessa água bendita onde navegam nossos guias, são nas histórias que eles nos trazem quando acalmamos nossas mentes para ouvi-los, que vamos encontrar as chaves, que nos fará também guerreiros do Bem, mantendo em equilíbrio a Luz e a Sombra. Deixando-a quieta e acorrentada a seus próprios degraus evolutivos. Não há porque ficarmos infinitamente nas mesmas expiações, nos mesmos erros e sofrimentos. Temos de mudar, como os guias mudaram, e seremos donos de nossos destinos, e Mago Negro algum, poderá enfim, lançar sua deletéria influência sobre nós. Mas o preço da liberdade sempre foi, e sempre será, a eterna vigilância, e podemos acrescentar a profunda Fé e confiança na Proteção Maior.

Ultimamente, o escritor Robson Pinheiro tem dedicado quase a totalidade de seus livros a denunciar, esclarecer e combater a ação dos Magos Negros, ou dragões, como alguns chamam. Outros autores os têm citado, como no livro “Libertação”, ditado por André Luiz a Chico Xavier. Também outros como Rubens Saraceni., Roger Bottini Paranhos, Roger Feraudy.

Vejamos algumas passagens de livros de Robson Pinheiro:

1) “Entidades cuja vibração se afina a tais interesses egoístas estabelecem ligação mais intensa com seus médiuns, os magos negros, a fim de vampirizar suas energias. É comum observar, em casos assim, processos de simbiose espiritual. Os parceiros do conluio tenebroso passam a vibrar em conjunto, alimentando-se um do outro durante longos períodos, até que o elemento dor os desperte e coloque limites nos desregramentos e abusos cometidos”

Livro “Aruanda”

2) …”— O que os magos negros pretendem com os espíritas e umbandistas, especificamente?

— Como já infiltraram seus agentes e suas idéias escabrosas entre aqueles que se julgam os únicos representantes legítimos do Cordeiro, os líderes religiosos e fiéis tomados pelo fanatismo, agora pretendem investir em novo núcleo. Os chamados médiuns, os chefes de terreiro e os dirigentes espíritas oferecem solo fértil nos quais semear tais pesquisas, pois também trazem elementos ambíguos e espinhosos, que poderão ser enfocados pelos magos negros. Por exemplo, podemos citar o desejo de aparecer, a busca pelo aplauso e pelo reconhecimento público, ou ainda a vontade de sobrepujar o outro na destreza para lidar com as forças sutis da natureza, no exercício de um pretenso poder, outorgado pela própria megalomania e pela vaidade. Para alcançar êxito nessa etapa inicial de sedução, os magos apresentam às suas futuras cobaias propostas subjacentes, aumentando a importância desses fatores na mente das pessoas. A sede egocêntrica ganha relevo. Quando elas vislumbram a possibilidade de atingir os objetivos que almejam, então cedem voluntariamente à ação dos magos negros, que se disfarçam em mentores e mestres de reconhecida autoridade moral. Dessa forma, são conduzidas a esta cidade (abordando a estrutura encontrada no plano astral), onde se transformam em cobaias de experiências mentais e emocionais…”

Livro “Legião – Um olhar sobre o reino das sombras”

3)…”— Sabe, meus filhos, a compreensão do ser humano e da realidade que cria em torno de si é rica e elaborada, inclusive no que se refere às questões mais simples do seu cotidiano. Imagine quando levamos em conta seus dilemas e os conceitos esdrúxulos que advém de experiências dramáticas, vivenciadas nos dois planos de existência.

— Sendo assim, no que concerne à fase fetichista e sobre esse estágio de aprendizado, é possível notar que os espíritos consorciados aos magos negros, já naquela época (Atlântida, Lemúria, Babilônia e Caldéia) bastante distante do conhecimento iniciático, efetivamente introduziram sacrifícios humanos e de animais em suas práticas. Visavam não apenas à condensação da força mental, mas também formavam campos magnéticos de baixíssima frequência, desprezando por completo o ensino espiritual. Davam início à magia negra mais primitiva e vulgar, que descambaria de vez, mais tarde, na chamada feitiçaria. Nesse conluio com as entidades das trevas, homens e espíritos desavisados se transformaram em instrumentos das forças do abismo. É um período que, cronologicamente, encontra seu ápice na Idade Média; felizmente, logo depois, é suplantado por idéias mais humanas e sadias, muito embora os efeitos de conchavos do gênero ainda perdurem nos dias atuais, em processos obsessivos gravíssimos.

Livro “Legião – Um olhar sobre o reino das sombras”

Para não nos estendermos muito, ainda Robson Pinheiro , no livro “Senhores da Escuridão”, mostra como Pai João de Aruanda destrói toda a empáfia e poderio do mago negro da região trevosa onde ele e os guardiões se encontravam. Transfigurando-se na verdadeira entidade de Luz que é, rapidamente colocou correr a criatura.

Que me perdoem os espíritas, mas hoje em dia parece que os obsidiados todos são considerados culpados de terríveis crimes. Porém, atualmente, ninguém está imune em algum momento de fiar sob o jugo das poderosas armadilhas que o submundo espiritual pode articular. Principalmente aqueles que mais estão em evidencia na luta contra as trevas, são os mais atacados. Temos que realmente nos revestirmos de Caridade e Amor e compreender que há mecanismo pelo qual só se livra com auxílio externo, e para isso aí estão as giras e os guias trabalham sem cessar.Vamos falar um pouco dos instrumentos tão bem manipulados pelos magos negros:

FASCINAÇÃO

A vítima não acredita que está sob efeito de qualquer força negativa, e assim fica muito difícil d reconhecê-la. . Na verdade, algumas vezes, ela julga que é a única que não está obsedada, enquanto todos à sua volta estariam.

O espírito obsessor vai se inserindo discretamente e ganhando espaço na vida do obsedado; como uma planta daninha, vai se enraizando, plantando desconfianças e medos, manias e desejos, até o ponto em que se instala definitivamente. A pessoa estará de tal forma envolvida que quase se forma uma simbiose psíquica que, caso se concretize, tornará ainda mais complexa a situação. Por vezes esta obsessão provoca a perda da razão, e mesmo à esquizofrenia.

SUBJUGAÇÃO

A vítima encarnada está sob domínio completo de uma força desencarnada. Quando esse tipo de obsessão ocorre, vemos a pessoa apática como se estivesse sonâmbula, tendo vontades que estão em desacordo com sua personalidade, e até afastando pessoas próximas que a critiquem ou que questionem suas “novas” atitudes.

A sua cura exige uma mudança vibracional no obsedado, o que envolve uma grande disciplina moral e muito estudo, além do auxílio de entidades de Luz que transformem o obsessor, ou o removam dali até que ele também se recupere e regenere.

AUTO-OBSESSÃO

Os magos negros ainda podem induzir a pessoa, através de seus sentimentos de culpa e baixa auto estima a achar que jamais poderão receber a Luz Divina, e não encontram objetivo em nada. Em grande parte das vezes, infligem a si mesmos os mais diversos castigos e, mesmo quando recebem a ajuda de outros espíritos e das almas iluminadas, eles argumentam que seus crimes são imperdoáveis e anseiam por “castigos” que possam “purificá-los”. Vivem acreditando que são indignos de qualquer perdão, e se não forem auxiliados, podem chegar inclusive ao suicídio.

A prática da magia negra é explicada, à luz da doutrina espírita pelo Livro dos Espíritos em suas questões 549 e 550, sob o título de “Pactos”, de 551 a 556, sob o de “Poder Oculto, Talismâs e Feiticeiros”, e 557 “Bençãos e Maldições”. Ali se ensina que as ações de espíritos voltados para o mal sobre as pessoas podem ser impedidas, caso a pessoa objeto dessas ações invocar, em sua proteção, a ação de espíritos voltados para o bem. Ensina, ainda, que para que uma pessoa tenha a ajuda de espíritos voltados para o bem, ela deverá manter-se em harmonia com eles, envolvendo-se, em todas as suas atividades e práticas, com pensamentos nobres e sempre procurando auxiliar aos necessitados.

Alguns espíritas erram ao achar que é só querer que se livra da obsessão. O médium altamente treinado, consegue…mas a sofisticação das obsessões só faz crescer. Hoje em dia não existem mais obsessões simples. Em geral são complexas, agravadas pela instalação de aparelhos na região para-cervical (no corpo fluídico). Porém, as condições predisponentes são realmente dadas pela própria pessoa, que é ignorante ou ignora voluntariamente a Lei de Causa e Efeito, e usa seu arbítrio erroneamente, ou nem ao menos exercita durante a vida seu direito de escolhas. Geralmente não é quem erra muito quem mais fica sob o jugo dos magos negros, mas quem se deixa levar, quem não se esforça para evoluir, e não compreende que suas dificuldades, na verdade são lições que ainda precisam ser aprendidas, exercitadas, restauradas. Preferem o lugar de vítimas, ou seguem o “deixa a vida me levar” ao pé da letra, ou pior, fazem escambo com a escuridão em troca de benefícios próprios.

Gostaria de enfatizar algumas palavras já conhecidas, mas que cabem muito bem neste contexto:

“Por que, no mundo, tão amiúde, a influência dos maus sobrepuja a dos bons?
(questão 932 do Livro dos Espíritos)

Responde o Espírito da Verdade: “Por fraqueza destes. Os maus são intrigantes e audaciosos, os bons são tímidos. Quando estes o quiserem, preponderarão.”

E termino com uma frase de Pai João de Aruanda no prefácio de “Sabedoria de Preto Velho”, psicografado por Robson Pinheiro : “União sem fusão… distinção sem separação.” Assim seremos Livres, seremos Fortes, seremos Unidos em todas as religiões, sem cair na mistificação e no Poder da Escuridão.


Alex de Oxóssi

Rio Bonito – RJ

FONTES CONSULTADAS:
Kardec, Allan.- O Livro do Espíritos -
Oliveira, Wanderley- Os Dragões – pelo espírito Maria Modesto Cravo. Ed. Dufaux
Pinheiro, Robson- Aruanda- espírito Ângelo Inácio- pag.36 Editora Casa dos Espíritos
Pinheiro, Robson- Legião - Um olhar sobre o reino das sombras. espírito Ângelo Inácio- pag.277 e 331- Editora Casa dos Espíritos
Pinheiro, Robson – Sabedoria de Preto Velho- espírito Pai João de Aruanda- Introdução- Editora Casa dos Espíritos