Intuição ou Incorporação


O médium está sempre conectado entre dois mundos. Quando em equilíbrio, percebe quando há influências negativas ao seu redor, e quando seus mentores estão lhe orientando e mostrando caminhos, sobre as inúmeras decisões que cada um tem de tomar diariamente.

Estas intuições podem dizer respeito às coisas do dia a dia, aos alertas sobre o que deve ou não fazer, advertências a respeito de assuntos cotidianos ou no campo espiritual.

As intuições surgem como se fossem ideias em nossa mente. Isto não quer dizer que devamos ficar completamente dependentes destas orientações, a ponto de nada fazermos à espera que elas venham. Por vezes, as condições do ambiente ao nosso redor, não nos permitem captar corretamente, ou mesmo, se estamos sob forte emoção, não conseguimos “ouvir” os sábios conselhos que nos enviam.

Outras vezes, o que devemos fazer não tem nenhuma influencia, pois se trata de assuntos que nossos mentores não consideram que devam opinar, e são ações de alçada própria, de nossos caminhos pessoais.

Mas elas sempre surgem quando isso possa influir ao redor, sobretudo quando podemos de alguma forma atuar para auxiliar outras pessoas. Atenua conflitos e evita desconfortos, pois nossos amigos espirituais sempre estarão a postos a vibrar pelo Bem e a serviço da Luz.

Em muitos momentos, a incorporação pode não ser possível, ou se faz desnecessário o gasto energético, se não estivermos dentro da proteção das porteiras do nosso terreiro.
E aí, chegamos à utilidade da incorporação, que muitos ainda execram e julgam desnecessária, ou sinal de pouca evolução.

O aparelho mediúnico ainda se faz necessário, e o fenômeno de incorporação ocorre para dar força ao médium, e que através dele, se intervenha com mais energia, amenizando as dores de muitos que vão aos terreiros buscar respostar e remédios para suas aflições de corpo e de alma.

A incorporação de espíritos bons, sempre é tranquila e traz bem estar ao médium, sendo esta também, mensageira da veracidade de outros planos, mostrando que há vida além destas searas sofredoras do nosso planeta.

Em outras circunstâncias, o astral superior se utiliza da incorporação da Umbanda, quando espíritos desencarnados compromissados, necessitam desta atividade para poderem ser resgatados e enviados às colônias de refazimento, ou estando ainda no equívoco da vingança e mágoa, precisam ser retirados de locais onde atuam como obsessores, e assim são encaminhados a verdadeiros hospitais ou regiões protegidas dos algozes que os escravizam.

Daí, enquanto houver sofredores, enquanto os amados pretos velhos, caboclos e suas falanges de espíritos que lutam pela evolução em nosso orbe precisarem da matéria densa dos corpos físicos, sim, será utilizado o mecanismo bendito da incorporação, para que seja cumprida a missão de Caridade, de reconduzir todas as ovelhas perdidas ao rebanho, em nome do Senhor Jesus.

Alex de Oxóssi
Rio Bonito – RJ