Nove milhões!


Versão em Inglês (clique)

Os sonhos são importantíssimos em nossas vidas. Sonhos são as intuições, os sopros de uma outra dimensão que reverberam em nossa alma.

Dos sonhos, caminhamos, damos nossos primeiros passos, atingimos realizações e recomeçamos a sonhar, tecendo nossas vidas.

Assim foi com Povo de Aruanda. Iniciou com um sonho, um eco de uma grande colônica no astral, com espíritos voltados ao resgate daqueles caídos nos mais profundos abismos, de limites perdidos entre mundos, sob a tutela de poderosos guardiões.

E daí, o sonho, o sonho de divulgar idéias e conhecimentos, notícias do mundo espiritual, vivências, fundamentos, verdades, multiplicando-se em muitas histórias, depoimentos, discussões, qual fôsse uma escola, preparando os atuais encarnados para o trabalho incessante do outro lado.

Povo de Aruanda se espalhou pelo mundo, ganhou nove(9) milhões de acessos e eu espero, que cada um tenha levado para si uma lição, um fragmento de idéia, o reencontro consigo ou com a religião, readquirido a Fè, o Respeito, tenha debatido consigo mesmo e com muitos, tenha estudado, pesquisado, buscado um terreiro para trabalhar.

Muitos, acredito, comprometeram-se de fato, se era esse o seu destino, com a tarefa enorme de ser médium de Umbanda, trabalhando sem cessar, dentro e fora de sua casa espiritual, durante a vigília e o sono, uma espécie de sacerdócio. Outros, conseguiram obter auxílio moral, espiritual, para a saúde, para sua vida interior.

Povo de Aruanda ganhou tambem alguns desafetos pelo caminho, pois ninguém agrada a todos, mas é um grupo, uma egrégora que já se consolidou neste plano e mantém-se fornecendo informações, divulgando eventos, uma espéciede porto seguro, quer sejam dias de tempestade, mas também nos de Sol aberto, cheios de alegria.
Mas Povo de Aruanda segue firme numa outra esfera, com guias iluminados trabalhando sob a chancela dos Orixás, sob a bandeira da Caridade e do Amor. Caridade e Amor são irmãos. Palavras bonitas e fáceis, mas de árduo alcance nessa Terra Fria, onde somos tão imperfeitos e esmagados com uma ambiência tão turva.

Acreditamos que há muito mais do que a ilusão de nossos sentidos, nesta pseudo rotina de cada um. Acreditamos que a roda do destino está girando, e muito da vibração interna de cada um está movendo positiva ou negativamente o rumo das vidas.

Existe uma invisível corrente ligando cada ser encarnado ao outro, através de tarefas a serem feitas, batalhas a serem travadas, muros a serem ultrapassados, resgates a serem obidos, questões a serem resolvidas, reencontros, construções… Daí que não existe mesmo coincidências. O que há são nossas ações se afinizarem com nossas missões, entendermos a importância e valor da vida, com todas as dificuldades, com a consciência que tudo faz parte do crescimento. E dar as costas para estas lições, limitará as oportunidades de crescimento pessoal.

Se alguém ainda não se encontrou, não achou seu equilíbrio e caminho, não estará ainda apto a auxiliar ninguém ao seu redor, sem mais tarde sentir-se tolhido, ou injustiçado de alguma maneira. Na verdade será mais um a necessitar de ajuda, mais do que auxilia.

Por outro lado, aquele que se propôs a “arregaçar as mangas” e partir para o trabalho missionário de Caridade e Amor que a Umbanda acena, não pode ficar a reclamar e achar-se merecedor de benefícios extras. Será como cada um, apenas um pouco mais esclarecido, assim vislumbrando o caminho da Felicidade, natural, fluido e expontâneo.

Assim aprendi e acredito que cada leitor poderá tambem, a cada vez que se tornar mais depreendido, buscar sua Felicidade. Não sou melhor que ninguem, mas busco as migalhas de Luz que nossos abençoados mentores acenam, tão amorosamente, nunca negando que o caminho é trabalho, trabalho, trabalho. Trabalho mental, espiritual, que se reflete no cotidiano, nos encontros, nos desencontros, nas inúmeras ocorrências e escolhas de cada dia, que só observaremos e aprenderemos se estivermos vigilantes e atentos.
Mas tudo se inicia, de um primeiro passo…

Alex de Oxóssi
Rio Bonito – RJ