Auto – obsessão no médium


O pensamento é energia que constrói imagens que se consolidam em torno de nós. Impressas no perispírito elas formam um campo de representações de nossas idéias. À custa dos elementos absorvidos do fluido cósmico universal, as idéias tomam formas, sustentadas pela intensidade com que pensamos nelas. A matéria mental constrói em torno de nós, encarnados ou desencarnados, uma atmosfera psíquica ( psicosfera ), onde estão representados nossos desejos. Neste cenário, estarão todos os personagens que nos aprisionam o pensamento pelo amor ou pelo ódio, pela indiferença ou pela proteção etc. Medos, angústias, mágoas não resolvidas, idéias fixas, desejo de vingança, opiniões cristalizadas, objetos de sedução, tudo se estrutura em ” idéias – formas ” na psicosfera que alimentamos. A matéria mental produz a ” imagem ” ilusória que nos escraviza . Por capricho nosso, somos, assim, ” obsedados ” pelos nossos próprios desejos.

A auto – obsessão por mediunismo

São os quadros de manifestações sintomáticas apresentadas por aqueles que, incipientemente inauguram suas manifestações mediúnicas. Com muita freqüência, a mediunidade se manifesta de forma tranqüila e é tida como tão natural que o médium, quase sempre ainda muito jovem, mal se dá conta do que vê, percebe e escuta de diferente.

Outras vezes, os fenômenos são apresentados de forma abundante e o principiante é tomado de medos e inseguranças, principalmente por não saber do que se trata. Em outras ocasiões, a mediunidade é atormentada por espírito médium se vê às voltas com uma série de quadros da psicopatologia humana, ocorrendo crises do tipo pânico, histeria ou outras manifestações que se expressam em dores, paralisias, insônia rebelde, sonolência incontrolável e auto – obsessão. Uma grande maioria tem pequenos sintomas psicossomáticos e se sente influenciada ou acompanhada por entidades espirituais. São médiuns com aptidões ainda muito acanhadas, em fase de aprendizado, uma tenra semente que ainda precisa ser cultivada para se desabrochar.

Causa anímica ou auto – obsessão

As obsessões anímicas são causadas por um influencia mórbida residente na mente do próprio médium. Por vícios de comportamento, ele cultiva de forma doentia pensamentos que causam desequilíbrio em sua área emocional.
Muitas tendências auto – obsessivas são provenientes de experiências infelizes ligadas às vidas passadas. Angústia, depressão, mania de perseguição ou carências inexplicadas podem fazer parte de processos auto-obsessivos. O auto – obsediado costuma fechar – se em seus pensamentos negativos e não encontra forças para sair dessa situação constrangedora. Esse posicionamento mental atrai espíritoespiritual.

A fluidoterapia ( passes, magnetização e água fluidificada ) pode ser utilizada como auxiliar no tratamento das auto – obsessões. A melhor terapia, no entanto, é a reeducação através da conscientização dos seus males e conseqüente mudança de postura.

Fonte: Revista Espiritual de Umbanda