IBEIJI


(clique nas imagens , assim estará ajudando nosso Blog)

Ibeiji, o único Orixá permanentemente duplo. É formado por duas entidades distintas e sua função básica é indicar a contradição, os opostos que coexistem. Num plano mais terreno, por ser criança. A ele é associado a tudo o que se inicia: a nascente de um rio, o germinar das plantas, o nascimento de um ser humano.

No dia de Ibeiji, 27 de setembro (o mesmo de Cosme e Damião, com quem são sincretizados), é costume as casas de culto abrirem suas portas e oferecerem mesas fartas de doces e comidas para as crianças, elevadas à condição de representantes na terra do Orixá.

Regem a falange das crianças que trabalham na Umbanda.


CARACTERÍSTICAS

Cor Rosa e azul (branco, colorido)
Fio de Contas No Candomblé, contas e miçangas leitosas coloridas.
Ervas jasmim, alecrim, rosa
Símbolo Gêmeos
Pontos da Natureza Jardins, praias, cachoeiras, matas…
Flores Margaridas, rosa mariquinha.
Essências De frutas
Pedras Quartzo rosa
Metal Estanho
Saúde Alergias, anginas, problemas de nariz, raquitismo, acidentes
Planeta Mercúrio
Dia da Semana Domingo
Elemento Fogo
Chakra Todos, especialmente o Laríngeo
Saudação Oni Beijada
Bebida Guaraná (Suco de frutas, água de coco, água com mel, água com açúcar, caldo de cana)
Animais Animais de estimação.
Comidas Caruru, doces e frutas.
Numero 2
Data Comemorativa 27 de Setembro
Sincretismo: São Cosme e São Damião
Incompatibilidades: Coisas de Exu. Morte, Assovio.


ATRIBUIÇÕES

Zelar pelo Parto e Infância. Promover o amor(união).


LENDAS DE IBEIJI

COMO OS IRMÃOS IBEIJI VIRARAM ORIXÁ

Existia num reino dois pequenos príncipes gêmeos que traziam sorte a todos. Os problemas mais difíceis eram resolvidos por eles; em troca, pediam doces balas e brinquedos. Esses meninos faziam muitas traquinagens e, um dia, brincando próximos a uma cachoeira, um deles caiu no rio e morreu afogado. Todos do reino ficaram muito tristes pela morte do príncipe.

O gêmeo que sobreviveu não tinha mais vontade de comer e vivia chorando de saudades do seu irmão, pedia sempre a orumilá que o levasse para perto do irmão. Sensibilizado pelo pedido, orumilá resolveu levá-lo para se encontrar com o irmão no céu, deixando na terra duas imagens de barro. Desde então, todos que precisam de ajuda deixam oferendas aos pés dessas imagens para ter seus pedidos atendidos.