VIII – Pontos de OXOSSI


Queridos irmãos sempre é muito estar aqui com vocês, mas entenda que precisamos da ajuda de todos vocês, ou seja, prestigiando nossos patrocinadores e é claro dando alguns cliques em alguns links que temos em nosso blog.
BICHOS ON-LINE
TIN YAN DEI
Artigos de Umbanda
Artigos Esotéricos
Atabaques
CDs de Umbanda
Livros de Umbanda
================================================================================

01

Ai não me mexa na espada de Ogum
Ai não me bula no machado de Xangô
Ai não me toque no bodoque de Oxossi
Ele é o rei das matas
Ele é caçador

02

Os caboclos desceram
Lá do alto da serra
E traziam no peito
Uma cobra coral
(bis)
Mas hoje é dia
De alegria
No terreiro de Umbanda
Saravá meus Caboclos de ronda

03

Caçador na beira do caminho
Ah não me mate a coral na estrada
Ela saravou seu Sete Flechas na Aruanda
Foi ao romper da madrugada
Caçador

04

Vento que vem
Oi que vem das matas
Olhas as matas quebrando
E os Caboclos chegando

05

Oxossi mora de baixo da gameleira
Oxossi mora de baixo da gameleira
Pai Ogum mora na lua
Pai Xangô lá na pedreira

06

A mata estava escura
Os anjos alumiou
No meio da mata virgem
Quando o seu Oxossi chegou
Mas ele é o rei
Ele é o rei
Ele é o rei
Mas ele é o rei
Na Aruanda ele é o rei
(bis)

07

Ele é Ubirajara
Ele é Ubirajara
Seu saiote é de pena
Seu capacete é de Arara

08

Ele atirou
Ele atirou ninguém viu
(bis)
Seu Sete Flechas é quem sabe
Aonde a flecha caiu
(bis)
Ele atirou

09

O meu manacá
Já não dá mais flor
(bis)
Ai eu vou plantar
Uma semente do meu manacá
Ai como é linda essa madrugada
Povo de Umbanda vem trabalhar
Tupinambá é Pai de Terreiro
Tupinambá no reino está

10

Ê Oxossi ê
Vem chegando de Aruanda
Ê Oxossi ê
Para salvar filhos de Umbanda
Na curimba xö, xö , xö
Na curimba xô, xô, xô
Ë Oxossi, é de bamba é o clima

11

A sua mata é longe
Ele já vai embora
E vai beirando o rio azul
Adeus Umbanda
Os Caboclos vão embora
E vão beirando o rio azul

12

Oh, que penacho é aquele
Ë um penacho de arara
É quem rompe a mata virgem
É quem rompe a mata virgem
É o Caboclo Ubirajara

13

Eu vi chover
Eu vi relampear
Mas mesmo assim
O céu estava azul
Firma seu ponto
Companheiros da Jurema
Oxossi é dono do Aracajá

14

Na sua aldeia tem os seus Caboclos
Nas suas matas tem cachoeirinha
No seu saiote tem pena dourada
Seu capacete brilha na alvorada

15

Caboclo Roxo
Da cor morena
É Seu Oxossi
Caçador da Jurema
Ele jurou
Ele jurara
Pelos conselhos que a Jurema
Vem nos dar

16

Caboclo apanha a sua flecha
Pega o seu bodoque
O galo já cantou
O galo já cantou na Aruanda
Oxalá te chama
Para sua banda

17

Ê Juremê
Ê Jurema
Sua flecha caiu serena, ô Jurema
Dentro desse gongá
Sua flecha
Caiu serena dentro desse Jacutá
Saravá todos Caboclos
Dentro desse gongá
Ê Jurema

18

Jandira traz nos cabelos uma rosa
Jupira traz no peito um jasmim
Jussara é uma linda Cabocla de pena
Jurema tem pena de mim
Jurema, Jurema
Jurema tem pena de mim

19

A Estrela Dalva é nossa guia
Clareia o mundo sem parar
Ilumina a mata virgem
Cidade de Juremá
Vinde, vinde companheiros
Cocoro-co-có
Companheiros da Jurema
Aí de mim tem dó

20

Zun, zun, zun
Aqui está o Nazaré
Que veio das matas
Pra salvar filhos de fé

21

Caboclo do Mato trabalha
Com São Cipriano e Jacó
(bis)
Trabalha com chuva e com vento
Trabalha com a lua e com sol

22 (descarga)

Corto língua
Corto mironga
Corto língua de falador
Aonde ele pisa não há embaraço
Chegou Ubirajara do Peito de Aço

23

Fui buscar em meu gongá
O que eu deixei em Aruanda
Aqui está o Caboclo Arruda
Pra vencer essa demanda
A falange de Arruda
É cheia de boa vontade
Vai pedir a Mãe Santíssima
Nossa Senhora da Piedade

24 (pólvora)

Ele é caboclo
Ele é flecheiro
Bumba na calunga
É matador de feiticeiro
Bumba na calunga
Quando eu vai firmar meu ponto
Bumba na calunga
Eu vai firmar é lá na Angola
Bumba na calunga

25

Quem manda na mata é Oxossi
Oxossi é caçador
Oxossi é caçador
Ouvi meu Pai assobiar
Ele mandou chamar
É na Aruanda ê
É na Aruanda ê
Seu Pena Branca de Umbanda
É na Aruanda ê

26

Arreia capangueiros
Capangueiros da Jurema
Arreia capangueiros
Capangueiros Juremá

27

Na sua aldeia ele é Caboclo
É Rompe Mato
É Arranca Toco
Na sua aldeia
Lá na Jurema
Não se faz nada
Sem ordem suprema

28

Seu capacete é todo branco
Sua saiote é carijó
Apanha laranja no chão
Quem quiser
Come manjar lá no céu
Quem puder

29

Eles são três caboclos
Caboclos do Jacutá
Eles giram noite e dia
Para os filhos de Oxalá
Sete com mais sete
Com mais sete, vinte e um
Salvando os três sete
Todos três de um a um
Sete Montanhas giram
Quando a noite vai chegar
Seu irmão Sete Lagoas
Quando o dia clarear
E ao romper da aurora
Até alta madrugada
Gira o Caboclo
Das Sete Encruzilhadas

30

Estou cansado
De curimbar
(bis)
Lá na Jurema
Tem Oxossi Branca Lua

31

Chegou, chegou
Chegou, com Deus, chegou
Chegou,
O caboclo das Sete Encruzilhadas

32 (descarga)

Cortai,
Cortai, cortou
Cortai a mironga de um mal protetor
Aonde eu laço
Não há embaraço
Cortai o laço
De um braço de aço

33

Um instante meus irmãos
Eu vos quero saudar
Há muito que aqui ando
Querendo vos ajudar
Sou filho de Urutã
Nas matas onde eu nasci
Lá recebi o nome
De Caboclo Tururi
Meu Pai é Caboclo guerreiro
Minha Mãe é Mamuri
Quando quiseres auxílio
É chamar por Tururi
Deus é Pai de todos
Somos irmãos de Javari
Quando tiveres demanda
É chamar pelo Tururi
Quando tiveres demanda
Dessas que vejo aqui
Chamai pelo vosso irmão
O Caboclo Tururi
Que Deus proteja a todos
E dê forças ao chefe Timbiri
Pois quem pede nesse momento
É o Caboclo Tururi
Que o manto da Virgem Mãe
A todos possa cobrir
E que debaixo desse manto
Trabalhe sempre Tururi
Boa noite meus irmãos
Que a paz fique aqui
Quem pede nesse momento
É o Caboclo Tururi

34

O dia quando nasce
Já vem rompendo aurora
Clareia uma choupana
Aonde Oxossi mora
Já clareou
Seu Sete Flechas
Numa choupana
Aonde Oxossi mora

35

Atira, atira, eu atirei
No bambá eu vai atirar
O veado no mato é corredor
Oxossi na mata é caçador

36

Enfeitei a Cabocla de Pena
Soltei na mata para passear
Botei dois índios para procurar
Pra ver a força que a Jurema tem

37

O meu São Sebastião
Fostes preso e amarrado
Livrai-nos dos inimigos
Que nos traz acorrentado

38

Cadê seu Sete Folhas
Da raiz do Oricá
Vai chegar Seu Sete Folhas
Com licença de Oxalá

39

Na mata virgem
A coral piou
Um filho passou e ficou escutando
Cadê Seu Pena Branca de Umbanda
Que até agora ainda não chegou

40

Luar, luar
Caboclo da Lua já chegou
Vai dizer a sua mãe
Que o Terreiro ele salvou

41

Eu corre terra, eu corre mar
Até que eu cheguei
Em minha Pais
Ora viva Oxossi das matas
Que a folha da mangueira
Ainda não caiu

42

Ajoelha caboclo
Tu não é judeu
Tu foi batizado
Pela lei de Deus
Padrinho e Madrinha
Foi Deus quem te deu
Meu Ananá, meu Ananá

43

Com sete meses de nascido
A minha mãe me abandonou
Salve o nome de Oxossi
Foi Tupi quem me criou
Vinde vinde companheiros
Co co ro co có
Companheiros da Jurema
Ai de mim tem dó

44

Umbanda, quando chega no reino
De todo mundo
Quer saber sua nome (diz seu nome)
Umbanda, é de Oxossi Maê
De todo mundo
Ele já sabe o nome

45

Rompendo matos e ventos
Para seus filhos salvar
Chegou, chegou agora
O Caboclo Janguará
Lá na Aruanda
Onde o galo cantou
Trabalhos de Janguará
Nosso Senhor coroou
Chegou, chegou
Deixa meu povo chegar
Chegou o rei dos Bugres
Com Caboclo Janguará

46

Caiu uma folha na Jurema
Veio o sereno e molhou
E depois veio o sol
Enxugou, enxugou
E as matas se abriram
Toda em flor

47

Nós somos dois guerreiros
Dois irmãos unidos
Meu nome é Tupaiba
Sou filho de Aimoré
Da tribo dos Guaranis
Meu irmão chama Peri

48

Mangueira, mangueira
Mangueira de Umbanda
Folhas por folhas Umbanda
Lá no mato tem Umbanda
Vamos cruzar
Para salvar
Filhos de Umbanda com seu patuá

49

E vem a barra do dia
Juntamente com a barra do mar
É a falange do Sete Estrelas
Que veio trabalhar
Estrela ô, estrela ô
Estrela que é nossa guia
Chegou seu Sete Estrelas
Com Deus e a Virgem Maria

50

Chegou Urubatã de Guia
Que veio para seus filhos salvar
Rebenta corrente de ferro e de aço
Estoura cadeias de bronze
O sol e a lua vem saindo
E vem a Estrela da Guia
Eu trago em meu bronze gravado
O nome da Virgem Maria

51

Lá bem no alto da serra
Eu escutei uma coral piá
Era uma linda jibóia
Ferida com a flecha de Tupinambá

52

É lá na Jurema
Que o caboclo luta
E vence demanda
Com Oxossi seu rei
Com o arco e a flecha
E o canto de guerra
Atira-se a luta
E sai vencedor
De joelhos em terra
O chefe da tribo
Agradece a vitória
A Jesus Redentor

53

Ele veio de tão longe
Da cidade da Jurema
Saravá seu Branca Lua
Vem com a ordem suprema

54

Quando a Aruanda se abre
Eu quero ver quem é
É o teimoso de Aruanda
É o Caboclo Rei Guiné

55

Com tanto pau no mato
Eu não tenho guia
Caboclo Vira Pau vai trazer a guia
Com tanto pau no mato
Eu não tenho guia
Eu trago esta pemba
Pra cruzar a guia

56

Sobe serra, desce serra
Serra verde aonde estás
Pombinhas bateu asas
Bateu asas e voou
Papai eu sou guerreiro Maná
Mamãe caminhos que vai

57

Eu sou Caboclo da mata fechada
Eu sou Caboclo em qualquer lugar
Eu não apanho a folha da Jurema
Sem ordem suprema do Pai Oxalá

58

Ô Humaitá, Humaitá filhos de Umbanda
Ô Humaitá, Humaitá venceu demanda

59

Eu vim da mata
Ô que mata é a sua
Eu vim da mata
Ô que mata é a sua
É de lá do Oricá
Aonde pia a cobra
Aonde canta o sabiá
Eu vim da mata
Sou da tribo do Guajá
Eu vim trazer minha falange
Para vir descarregar

60

Na mata virgem a coral piou
O sino bateu
O galo cantou
Cadê Seu Sete Flechas de Umbanda
Há muito tempo que eu lhe chamo
Ele aqui não aparece

61 (surra)

Ai quem cortou meu pé de árvore
Ai não fui eu Oxossi
Onde eu passava o meu dia
Ai não fui eu Oxossi
Que puderam lhe fazer
Foi amarrar de pé e mão
Amarrado num tronco de árvore
Ai como um cão
Cão de verão
Ai quem cortou meu pé de árvore
Ai não fui eu Oxossi
Ai foi São Jorge quem mandou
Ai não fui eu Oxossi
E depois de tudo isso
As sete flechas ele alcançou
São Jorge gritou na Aruanda
Foi seu irmão quem te amarrou

62

Como é lindo o sol
Como é linda a lua
Como é lindo o sol
Seu Sete Flechas é rei da lua

63

A minha gongo
Está roncando
Lá nas matas, está roncando
Pra chamar filhos de fé
Ronca, ronca minha gongo
E vem chegando
A tribo dos Aimorés
A minha gongo
Está roncando lá nas matas
E os Caboclos estão tocando maracá
Ronca, ronca, minha gongo
E vem chegando o velho Tupinambá

64

Mas olha que Caboclo lindo
Que Oxossi mandou saravá
Pena Dourada na linha de Umbanda
Caboclo Roxo na lei de Oxalá

65

Oi quem brilha no céu
É a Lua Nova
(bis)

66

A estrela brilhou no céu
A terra estremeceu
Aonde estão os capangueiros da Jurema
Que até agora não apareceu
(bis)

67

Vem o sol saindo
Com os raios brilhantes
No terreiro de Umbanda
Raio de Sol vem trabalhar
O veado na mata
Ele corre, ele corre
E Oxossi nas matas
Ele vai laçar

68

Nesse mato tem folha
Tem Sete Estrelas que nos alumia
Alumia o mundo Estrela
Alumia o mundo Estrela

69

Mas ele é capitão da Marambaia
Mas ele é capitão da Marambaia (bis)
Mas ele é Oxossi na Arucaia

70 (descarga)

Que bombardeio que se deu lá na Jurema
Até sua palhoça Oxossi quis abandonar
Mas ele é Caboclo de pena da Jurema
Que veio para seus filhos saravá

71

Nasci na mata
Da mata não tenho medo
Nasci na mata
Embaixo do arvoredo
Nasci na mata
Da mata não tenho medo
Nasci na mata
Embaixo do arvoredo

72

Oxossi é cassuté de Umbanda
Na Aruanda
Olha na Aruanda auê (bis)
Ô na Aruanda

73

Oxossi é dono do Aracajá
Oxossi é dono do Aracajá

74

Salve o Caboclo das Matas
Salve o Caboclo Costeiro
Que ronda a beira das praias
E é filho lá do coqueiro

75

Caboclo do Mato
O que é que você quer
Folhas verdes de guiné
O zum, zum, zum, aruê
O zum, zum, zum Nazaré

76

Estrela, matutina
Clareia o mundo , sem parar
Estrela clareou Seu Sete Flechas
Que mora na raiz do Oricá
Estrela clareou Seu…….
Ê, ê, ê, ê, ê á

77

Oriri, Oriri, Orirá
Samba Guaiá
Samba Guaiá
Oriri, Oriri, Orirô
Samba Guaiô
Samba Guaiô

78

Oh viva Oxossi ê
Oh viva Oxossi ê á
Ele é Caboclo do mato
Oh Viva Oxossi ê, minha Pai

79

Oh cindarerê, oh cindarerá
Oh viva Oxossi ê ê
Sua coroa vamos salvar
É de bamba é o clima
O mundo é de Oxalá
Oh viva Oxossi ê ê
Sua coroa do Jacutá

80 (atrair obsessor)

Eu fui no mato caçar serió, serió
Mas quando é tempo de calor
Ora bate com pé
Suspende o pó
Serió, serió, serió

81 (descarga)

Oh meu Deus lá nas alturas
O meu Pai é o Caboclo Gira Mundo
Tumba, que tumba, que tumba, auê
Meus inimigos não podem vencer

82

Caboclo Jaracutinga
Bebe água no coité
Tira ponto na Jurema
Atira flecha sem ver

83

Ele é caboclo da Terra da Jurema
Apanha pemba, risca ponto
Filhos de Umbanda, vem trabalhar

84

Ele é Sete Cachoeiras, orerê
Olha Madeodé, Madeodé, Madeodé
Olha Madeodé
Sobe serra, desce serra orerê
Olha Madeodé, Madeodé, Madeodé

85

Ele vem das matas
Ele vem girar
Ele gira com o sol e a lua
Ele gira com o vento e o mar

86

Salta pra aqui Iracema
Quem te chama é Tabajara
Vem linda como Açucena
Entre espinhos da Jussara
Coroa troa nas matas
Em busca do Pitangui
Salta para aqui Iracema
Quem te chama é Tabajara
Vem linda como Açucena
Entre espinhos da Jussara

87

Ai se não fosse a folha da Jurema
Lá nas matas
O que seria do Caboclo Juruá
Ai a Jurema, Jurema, Jurema
Ai a Jurema do Caboclo Juruá

88

No meio da mata virgem
A coral piou
Com sua capacete
Ele saravou, ele saravou

89

Sá Macutara mironga de Umbanda
Me corre nas matas, me corre ê
Sá Macutara mironga de Umbanda
Me corre nas matas ta ta ruê

90

Caça, caça, caçador
Caçador de Aruanda
O caça, caça, caçador
Foi Oxossi quem mandou

91

Duas estrelas me alumiam
Oh Aimoré more
Dois anjos me acompanham
Encruza flecha com lança
Oh Aimoré
Encruza lua com sol

92

É o caçador, é o caçador
O caçador é o anjo adivinhador
Terreiro de Umbanda que vem Zamburá
É o caçador que veio aqui caçar

93

De onde vens Timbí
Venho do reino do céu
Descamba a ladeira
Oh Timbí
Passa pro lado de cá

94

Ai Jesus
Jesus morreu na cruz
Chegou Araribóia
Salvar Jesus da cruz

95

Ô viva Oxossi ê
Ô viva Oxossi á
Oxossi é um grande Caboclo guerreiro
Ô viva Oxossi ê
Oxossi é dono da pemba
Oxossi é rei do gongá
Quando um filho cai em falta
Oxossi manda castigar

96

Mas como é lindo
O clarão da lua
Oxossi pra vim na cidade
Só anda no meio da rua

97

Lua Nova que brilha no céu
Cravejada de ouro, Massumbebá
Olha Massumbebê, olha Massumbebá

98

Caboclo vem da mata
Vem comendo Sapucaia
Maia cadê, Caboclo Maia dendê
Maia cadê, Caboclo Maia dendê

99

Simiromba vem Simiromba
Com a cruz na mão Simiromba
Como ele vem contente, Simiromba
Trazendo a sua redenção, Simiromba
Bate, bate, bate, bate, Simiromba
Ora tornas a bater, Simiromba

100

Os Caboclos lá nas matas
E as cigarras nas árvores cantando
E eu aqui no Terreiro
Com seu ponto afirmando

101

Foi Zambi quem criou o mundo
É Zambi quem vai governar
Foi Zambi quem criou as estrelas
Que ilumina Oxossi
Lá no Juremá
Coquê, coquê, coquê
Coquê, meus Caboclos, coquê

102

Seu Branca Lua quando vem d’aldeia
Ele traz na cinta uma cobra coral
Oh, é uma cobra coral